domingo, 19 de março de 2023

Dia do Pai

A semana foi passada à volta deste tema: criar o poema/canção, fazer o presente, um porta-chaves pintado em couro, elaborar um poema individual que foi partilhado num Google Slides, ilustar o postal e o saco, usando os cartões que a mãe da Bianca traz da loja.

Na sexta ultimou-se tudo e fez-se a gravação que os pais receberam ainda antes do sol nascer.

Hoje é dia de muitos miminhos e de abraços aos Pais.

Feliz Dia do Pai!


Canção para o Pai

O meu Pai para mim é um tesouro

Ele é tão forte, tem a força de um leão

O seu sorriso é brilhante como o ouro

E o seu colo é sempre aconchegante.


Pai querido, sabes que eu gosto de ti

No meu coração tu sempre estarás

Se me abraças  o meu coração sorri

Meu melhor amigo tu sempre serás!


O meu Pai é sempre um brincalhão

E faz-me sorri quando estou infeliz.

Pr'a me proteger, tem a garra de um leão

Por isso, com carinho, esta canção eu lhe fiz! 

quinta-feira, 16 de março de 2023

Ainda os cães, um novo desafio

Este período começámos a explorar documentos colaborativos. Já explorámos o Google Docs, o Google Slides e o Jamboard

Esta semana conhecemos o que a maioria achou o melhor, o Padlet!

A professora criou um Padlet e abriu-o no painel interativo para nos explicar como funciona. Não havia tema obrigatório, podíamos escrever livremente. 

A sala, como é costume nestas atividades, estava um pouco barulhenta. Havia sempre alguém que se punha em pé para ajudar um colega ou alguém que, cansado de esperar pela professora, se movimentava na sala para a chamar.

Descobrimos que poderíamos colocar fotografias tiradas pelo computador e então a animação foi ainda maior, com pares ou grupos a fotografar-se para o artigo.

O mais interessante de tudo foi quando a professora abriu novamente o Padlet e começou a "Aprovar" as mensagens! Aí é que ficámos todos animados ao ver o que os colegas tinham feito! Havia textos muito diversificados e o Padlet estava muito colorido, com as fotografias. Em casa a tarefa continuou quando fomos melhorar o que tínhamos feito.

Este fim de semana temos um desafio, continuando o projeto que iniciámos há tempos: agora que já sabemos muito mais sobre o cão, vamos criar um Padlet apresentando 26 raças, uma por cada um dos elementos da turma.

Para a seleção do cão a apresentar, a professora criou uma roleta e, por ordem alfabética, fomos fazendo a atribuição. A Eduarda acionava a roda e a Leonor fazia o registo, com a ajuda da Bianca. 

No início alguns diziam que queriam trabalhar este ou aquele cão mas no fim ficou tudo bem e já temos que fazer no fim de semana!

Depois de conversar um pouco sobre o que teríamos de referir, relembrámos a importância de não copiar integralmente o que pesquisávamos. Com as ideias que recolhermos, fazemos o nosso texto.

Quando o Padlet estiver pronto, vamos partilhá-lo aqui!

Um recreio com vida

 O nosso recreio é um verdadeiro recreio com vida, sobretudo nas horas dos intervalos!

Temos muita biodiversidade, há muitos jogos pintados no chão e agora, umas tabelas de basquete. As mesas e bancos feitos com paletes servem para lancharmos ou para jogar o "Gatos e cães" ou escrever. 

Hoje, em resposta ao desafio "Recreios com vida" lançado aos conselheiros do Eco Escolas, tivemos aqui dois jovens para nos apresentar jogos tradicionais do seu país. Um deles era a  Julia Kucharczyk que já conhecemos no Workshop "Let's become fashion designers", para o desafio Eco Escolas "Roupas usadas não estão acabadas". O outro foi o Alexandrus Matsis, um cipriota que fala muito bem português!

Antes de começar a atividade aprendemos a dizer "Olá" em polaco e em cipriota e ainda "Obrigada/o".

Fizemos um jogo de passe de bola em que trabalhávamos as cores em inglês. Podemos fazer esse jogo com outras situações.

A equipa deixou-nos um folheto com vários jogos que vamos poder explorar depois.

Para que a partilha fosse justa, nós também lhes ensinámos um jogo tradicional, o Jogo do botão.

O objetivo é lançar um botão à parede e apanhar os que ficarem ao alcance de um palmo dos nossos. Ganha o último a ficar com botões. 

Depois de alguns de nós jogarem, foi a vez da Julia, do Alex e da professora. Eles gostaram muito do jogo! Foi a professora que ganhou e fizemos uma grande festa!

É muito bom ter estas oportunidades de conhecer outras pessoas, outras culturas!

Obrigada Embaixada da Juventude, Ana, Julia e Alex!

terça-feira, 14 de março de 2023

A pensar na Feira da Primavera

 Hoje começámos o primeiro trabalho para a Feira da Primavera.

Precisámos de meias de licra, serrim e sementes. 

O que irá sair daqui?...


sexta-feira, 10 de março de 2023

Magnetismo e brincadeiras

 Em Estudo do Meio falámos de magnetismo  e a professora referiu um "jogo" que sabia que alguns tinham, o Geomag.

Hoje a Gabriela e o Zé Pedro trouxeram os deles e estivemos a aprender a explorá-lo.

Aproveitámos para relembrar os sólidos, criando-os com as indicações que a professora dava: "Tem 9 arestas e 6 vértices"; "Tem 6 faces todas iguais"; " Tem 5 vértices e as faces laterais são triangulares";... e assim representámos o prisma triangular, o cubo, a pirâmide quadrangular,...

A força de atração é fácil de descobrir e explorar. Tentámos depois descobrir como é que podíamos observar a  força de repulsão. Virando as barras fomos tentando e foi muito divertido ver as barras a "fugir"!

Aprendemos em tudo o que fazemos e às vezes pode ser muito divertido!

quinta-feira, 9 de março de 2023

À descoberta dos cães

Este ano, para trabalhar o Dia de Darwin, apresentámos os nossos cães e, claro, nos dias seguintes, explorámos o nosso trabalho.
Ao falar da domesticação do cão encontrámos vários motivos: a proteção, a companhia, a ajuda na caça. Neste caso estivemos a pensar nas características que os cães devem ter e, claro, comentámos que um bom olfato é essencial. Também houve quem achasse que era importante eles serem rápidos. Para companhia são melhores os cães pequeninos e para proteção, os maiores, achámos nós.
Questionámo-nos sobre a sua origem e a sua evolução. Todos achavam que o cão devia ter como antecessor o lobo, pelas semelhanças entre eles. Não tínhamos certeza do que dizíamos mas era esta a nossa explicação.
Hoje tivemos oportunidade de tirar dúvidas e de aprender muito mais sobre os cães!
A Xana, a bióloga com quem costumamos trabalhar trouxe à nossa sala a Dra. Graça Lopes, veterinária, professora na Faculdade de Medicina Veterinária e  investigadora especialista em reprodução de cães e evolução das raças portuguesas. Ficámos muito entusiasmados porque gostamos sempre destas experiências! Na turma há muita gente que quer ser veterinária (a Mafalda diz que já sabe isso desde os 3 anos), por isso, ficámos mesmo muito felizes!
A Dra. Graça confirmou o que tínhamos pensado, que o antecessor do cão é o lobo e disse-nos que a evolução foi feita muito gradualmente ao longo de milhares de anos. Disse que só muito, muito recentemente, há cerca de 200 ou 300 anos é que começámos a ter o que hoje conhecemos como raças.  Perguntou-nos o que eram raças e o Francisco falou de características comuns que os animais tinham. A Eduarda complementou dizendo que a raça está definida no DNA do cão. Este aparecimento de raças surgiu quando o ser humano começou a  querer características definidas nos cães, pelo seu aspeto ou pela sua função. Por esta altura começou também a haver em Inglaterra exposições só para cães com determinadas características físicas.
Descobrimos que o Serra da Estrela nem sempre teve este tom amarelado e o focinho castanho. Há uns anos eram brancos com manchas pretas mas isto não é critério para definir a raça. 
Aprendemos depois que há 11 raças portuguesas de cães e fomos conhecê-los:

Cão da Serra de Aires
Cão de Castro Laboreiro
Rafeiro do Alentejo
Barbado da Terceira
Cão de água Português
Cão da Serra da Estrela
Cão Fila de São Miguel
Perdigueiro Português
Podengo Português
Cão de gado transmontano
Barrocal Algarvio

Uns são especialistas em guardar ovelhas, outros vacas, uns são usados para caça e há ainda um que ajudava os pescadores por ser bom nadador. É engraçado que a função de alguns é defender os rebanhos dos lobos!
Vimos uma imagem com uma montagem de muitos, muitos cães e reparámos nas características que variam como o tamanho, tamanho e cor do pelo ou a forma do focinho, por exemplo.
Na sala tínhamos falado de alguns problemas dos cães com a intervenção do ser humano e a Dra. Graça confirmou. O cão salsicha  sofre problemas de coluna por ser tão comprido e o buldogue tem problemas respiratórios por terem o focinho achatado, o que obriga às vezes a cirurgias. 
O entusiasmo a falar de cães era muito, mesmo com o Tomás e a Maria Beatriz que têm muito medo de cães.
Tínhamos muitas perguntas para fazer, por isso,  à tarde, enquanto fazíamos o resumo da atividade para colocar no blogue, a professora criou um documento colaborativo que partilhou com todos, com a Xana e com a Dra. Graça, para que nos pudesse responder.


Mesmo ao fim do dia pudemos jogar o jogo da memória que a Dra. Graça nos deixou. As imagens apresentavam as 11 raças de cães. Ainda confundimos alguns, mas, aos poucos, vamos ficar especialistas!


Esta atividade foi espetacular!

segunda-feira, 6 de março de 2023

Dia Mundial da Vida Selvagem

A 3 de março celebra-se, anualmente, o Dia Mundial da Vida Selvagem

Este dia tem como finalidade a consciencialização para a proteção da fauna e flora, especialmente das espécies ameaçadas. A nossa vida depende das conservação das espécies no Planeta, por isso é tão importante a mudança de atitudes. 

O tema escolhido para este ano  é «Parcerias para a Conservação da Vida Selvagem».

No dia 3 não estivemos na escola mas não podíamos deixar passar esta data, por isso, hoje vimos documentários e montámos um cartaz. Para o cartaz usámos as imagens dos frascos de fruta que trazemos para atividades na escola e apresentámos 10 das muitas espécies ameaçadas. 

domingo, 5 de março de 2023

Dia Mundial da Vida Selvagem

No dia 3 de março assinala-se o Dia Mundial da Vida Selvagem. O tema deste ano é "Recuperando espécies-chave para a restauração do ecossistema".

Este dia foi  criado na 16.ª Conferência das Partes da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção, em Março de 2013, por iniciativa da Tailândia, e proclamado mais tarde, a 20 de dezembro de 2013, pela Assembleia Geral das Nações Unidas. 

Pretende-se sensibilizar para a proteção da fauna e flora, especialmente das espécies ameaçadas e ao mesmo tempo, demonstrar a importância da conservação das espécies para a vida no planeta e para a nossa sobrevivência.

Como não houve aulas, o desafio foi lançado à turma e algumas espécies em perigo foram apresentadas.



quinta-feira, 2 de março de 2023

Desafio Eco escolas: Roupas usadas não estão acabadas

Hoje tivemos uma tarde bem diferente e bem animada!

Respondendo ao desafio Eco Escolas "Roupas usadas não estão acabadas", demos nova vida a roupas velhas ou estragadas, com a orientação e ajuda da Julia Kucharczyk, uma jovem voluntária polaca, e da Ana Marques, da Embaixada da Juventude, no Workshop "Let's become fashion designers!".

Começamos por aprender um novo termo, "Upcycling", percebendo que se trata do reaproveitamento de objetos, neste caso, de roupa, com criatividade e respeito pelo ambiente. Como estamos a falar de sustentabilidade, tem todo o sentido realizarmos esta atividade. Falámos de pois de design, percebendo que se refere a desenho, e por fim, tentamos explicar em português a palavra "fashion", usando as palavras moda e estilo.
Numa sessão muito barulhenta e animada, começámos pelo projeto, desenhando o que imaginávamos fazer, e daí partimos à concretização. 
Havia calças de ganga e t-shirts, vários tecidos e botões muito bonitos. A tesoura foi a principal ferramenta usada. 
Cada vez que alguém terminava, pedia para ir vestir e a nossa sala transformou-se numa passarela com modelos a desfilar. 
A palavra obrigatória era "criatividade" e nós soubemos usá-la muito bem pois os trabalhos ficaram fantásticos!
Adorámos esta atividade!
Obrigada, Embaixada da Juventude!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2023

Jardineiros de flores

Hoje foi dia de usarmos a sala da Natureza para as aulas, com a atividade "Jardineiros de flores", uma das propostas no projeto "A Natureza é a melhor sala de aula".

Ainda na sala, falámos mais uma vez de flores, em especial, de girassóis. Relembrámos Van Gogh e os desenhos que fizemos inspirados no seus girassóis. 

Tínhamos um saco de sementes de girassol para semear, por isso, fomos pesquisar neste site para saber o que fazer. Não queríamos que nada falhasse!

Até parecia que continuávamos na aula de matemática com as medidas de comprimento! Vimos que o girassol pode atingir 4 metros, que as suas raízes podem estender-se por 5 metros, que as sementes devem ser enterradas cerca de 2,5 centímetros e colocadas com a distância de 15 a 20 centímetros, o que seria muito fácil de fazer, pois é a medida aproximada do nosso palmo.

Esta é uma  planta com um ciclo de vida de 110 a 170 dias, o que quer dizer que se prolongará depois de terminarem as aulas. 

Vimos que a sementeira deve ser feita entre março e maio, por isso, estamos na altura certa! 

Aprendemos ainda que o girassol prefere temperaturas entre os 20 e os 25ºC, o que quer dizer que se darão bem aqui pois são as nossas temperaturas na primavera. 

A parte mais esperada da aula veio a seguir! Fomos para a zona do charco e começámos por monitorizar o nosso viveiro de carvalhos, Estávamos tristes pois achávamos que a maioria das bolotas não tinha germinado mas, felizmente, o que tinha acontecido é que elas têm o seu tempo e não o nosso! Temos apenas cerca 8 pequenos carvalhos com cerva de 10, 12 cm, mas muitas bolotas estão agora a germinar! Íamos retirar os pacotes que achávamos vazios mas já não o fizemos pois afinal ainda nos vão surpreender!


Fomos então fazer a sementeira dos girassóis. Como vimos na pesquisa, eles podem ser semeados diretamente no solo ou em vasos e foi isso que fizemos. Para ter (quase) a certeza que vamos ter girassóis, fizemos os dois tipos de sementeiras. Umas sementes foram colocadas em pacotes de leite e outras diretamente na terra. Para estas tivemos de criar um canteiro arrancando ervas e revolvendo um pouco a terra. As sementes foram colocadas 2 a 2 em pequenos buracos que tapámos. Como tínhamos muitas sementes, no fim a professora ainda atirou algumas sementes aleatoriamente. 

No fim da sementeira regámos. Parece que vai chover este fim de semana, o que é bom para as sementeiras! Vimos que eles devem ser regados ficando o solo húmido mas não encharcado, por isso, vamos ter de muita atenção às regas.

Agora é ter paciência e esperar os tais 10 a 30 dias que a informação que encontrámos referia! Bem, temos é que acreditar que os pássaros ou os caracóis não vão encontrar as sementes ou os coelhos não vão comer as plantas quando começarem a brotar (apesar de não terem falta de comida pois o charco está cheio de coberto vegetal)! 

Ainda tivemos tempo de semear dois pacotes de flores também perto do hotel de insetos para assim os atrair. 

Durante esta atividade pudemos fazer observações de algumas espécies e até encontrámos um ninho escondido entre as ervas! Será que foi ali que o pássaro pôs os ovos e criou os filhos ou o ninho terá caído de alguma árvore?! Mas de onde?! É que ali ao lado não tinha nenhuma!... 

Se os girassóis germinarem vamos ter trabalho a cuidar deles, Se não germinarem vamos voltar à sementeira pois ainda temos um grande saco de sementes!

De volta à sala, aprendemos uma bonita canção sobre esta flor e ilustrámos o poema com os girassóis que já várias vezes desenhámos.